Julgar as pessoas destrói a sua prosperidade.

Compartilhar

julgar as pessoas

Julgar as pessoas é a pior e a mais comum atitude que podemos perceber atualmente, é tão natural que muitas vezes passa despercebido.

Mas o que as pessoas que nutrem este hábito não sabem é que isso destrói qualquer chance de sucesso que surja.

Além disso, a energia gerada por esse tipo de comportamento é de uma frequência muito baixa.

Desta forma o hábito de fofocar e julgar as pessoas funciona como se fosse uma âncora que não permite a fluidez em nenhuma área da vida.

Porém a parte mais afetada é a vida financeira, pois as energias densas criadas por essas atitudes formam um bloqueio.

Ainda mais quando nutre este tipo de hábito diariamente, a pessoa além de perder toda a sua energia vital passa a vibrar muito baixo.

Mesmo que seja uma pessoa de boa índole e tenha um bom coração, o que vai prevalecer é a baixa vibração dos julgamentos.

Julgar as pessoas aciona a lei da atração contra nós.

lei da atração

O pior de tudo é que ao julgar as pessoas acionamos a lei da atração para trabalhar contra nós, ao invés de atrair, afastamos os nossos sonhos ainda mais.

Pois quando julgamos as pessoas entramos no problema energeticamente e assim nos conectamos com eles e os trazemos para a nossa vida.

Embora apontar defeitos nos outros possa parecer uma coisa tola e inocente, essa atitude envenena a nossa vida.

Partindo do ponto que todos somos um, julgar os outros é a mesma coisa que julgar a nós mesmos.

Assim emanamos uma energia tóxica e de baixa frequência para o universo e esta emanação vai voltar para nós.

E desta forma destrói as nossas possibilidades de  sucesso em nossos projetos e relacionamentos.

Julgar as pessoas é como dizer a Deus que ele está trabalhando errado, que o que ele fez não foi bem feito, e sabemos que toda a criação divina é perfeita.

Ao julgar dizemos ao universo que faríamos melhor se estivéssemos no lugar da pessoa em questão.  

Logo o universo trata de nos trazer situações parecidas para que possamos então provar o que estamos dizendo.

Desta forma o julgamento é em essência um tiro pé, porque você assume inconscientemente a responsabilidade por aquilo.

Sendo assim você precisa “consertar” aquilo que você julga estar errado na criação, por isso é inteligente voltarmos a nossa atenção para nós mesmos.

Visão da bíblia sobre julgar as pessoas.

não julgar as pessoas

Além disso, certo e errado é muito relativo, eu estava lendo o livro O despertar da consciência do Neville e encontrei a seguinte passagem.

“O julgamento de certo e errado pertence ao homem apenas, para a vida não há nada certo ou errado, como Paulo afirma em suas cartas aos romanos: 

Eu sei, estou convencido no Senhor Jesus, de que nada é por si mesmo impuro, a não ser para aquele que assim o considera, pois para esse é impuro. (Romanos 14, versículo 14

Aqui ele está dizendo que nada é errado, a não ser para quem o considera errado.

Ou seja, se eu julgo que é errado, então é errado apenas para mim, os outros não tem nada a ver com o que eu acho ou deixo de achar.

Porque cada um vive de acordo com a sua verdade, ninguém tem a obrigação de satisfazer as expectativas dos outros a respeito de nada.

Caso você queira se aprofundar mais eu fiz um vídeo que explica tudo em detalhes para você.

Além disso, ensino técnicas que ajudam a perder o hábito de julgar e também de fofocar, parece inocente mas como vimos não é bem assim.

Julgar as pessoas destrói a sua prosperidade.

Caso tenha ficado alguma dúvida peço que deixe um comentário abaixo e terei um imenso prazer em te responder.

Grande abraço!😘🌻🙏

Deixe Seu Comentário

Comente

Compartilhar

Sobre o autor | Website

Passamos a vida a fazer coisas que não queremos por muitos motivos, meu propósito é ajudar a descobrir a sua missão e a direciona-lo de forma segura nesta transição de carreira e de vida, pois a partir do momento que mudamos o que fazemos a vida muda, garantir que o resultado desta mudança seja desejável é o que me motiva.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

O que você achou deste conteúdo?

Seja o primeiro a comentar!